Para organizar uma boa visita ao Louvre comece a pensar em visitá-lo mais de uma vez. Mas sei que nem todo mundo tem esse tempo e disposição. Então saiba que você DEVE estudar o lugar antes de ir pra otimizar seu tempo e conseguir curtir o lugar.

Primeiro, o Museu do Louvre possui mais de 380 mil itens e mantém em exibição permanente mais de 35 mil obras de arte, distribuídas em oito departamentos:

  1. Antiguidade oriental
  2. Egito
  3. Gregos, etruscos e romanos
  4. Arte do Islã
  5. Esculturas
  6. Objetos de arte
  7. Pintura
  8. Artes gráficas.

Segundo, o museu possui três alas: Denon, Sully e Richelieu. E o ingresso da acesso a todas elas, portanto, mantenha-o com você pois para entrar em uma nova ala será necessário mostrá-lo.

Vamos à algumas obras:

– Mona Lisa (em italiano, La Gioconda, “a sorridente”) – Local:  Ala Denon, sala 6, 1° andar

Monalisa Gioconda Louvre Paris

Essa pintura famosa de Leonardo da Vinci já ficou pendurada nos quartos de Luis XIV e Napoleão. O quadro retrata a figura de uma mulher com um sorriso tímido e uma expressão introspectiva – e porque não dizer enigmático, modelada por sombra e luz de paisagem. Quem quer que seja a Gioconda, ela é a mais notável e conhecida obra de Leonardo da Vinci. Sua pintura foi iniciada em 1503, sob a técnica de sfumato, que acreditava que a técnica o ajudava na intenção de pintar a alma da Gioconda. O seu sorriso tímido é muito sedutor. O seu corpo representa o padrão de beleza da mulher na época de Leonardo. Este quadro é provavelmente o retrato mais famoso na história da arte, senão, o quadro mais famoso e valioso de todo o mundo. Confesso que já não sei se o fascínio está no sorriso ou no olhar, ande de um lado para o outro quando estiver na frente dela e veja que os olhos dela sempre lhe perseguirão. Uma das histórias sobre o quadro diz que dois acontecimentos da vida conjugal de Francesco del Giocondo e Lisa Gherardini poderiam ter suscitado a realização deste retrato: a aquisição de uma casa privada em 1503 eo nascimento de um segundo filho, Andrea, em dezembro 1502 , veio para corrigir a tristeza de uma menina que morreu em 1499. O que esconde o sorriso enigmático da Mona Lisa? Esta questão não terá fim nunca.

– Vênus de Milo ou Afrodite (a deusa grega do amor e da beleza) – Local: Ala Sully, térreo

Vênus de Milo Paris Louvre

Vênus de Milo

Venus de Milo Paris Louvre

Vênus de Milo – fiu fiu

Linda sob qualquer  ângulo, a Vênus de Milo é uma escultura em mármore com 203 cm de altura, que data de cerca de 130 a.C., e que se pensa ser obra de Alexandros de Antióquia.

Em 1820 a escultura foi encontrada na ilha de Milo, no Mar Egeu, por um camponês. Ele escondeu a escultura das autoridades, mas felizmente foi descoberto pelos oficiais turcos, que apreenderam a escultura. Mais tarde, a obra foi comprada pela França e exposta no museu do Louvre. É hoje uma das estátuas antigas mais conhecidas do mundo. Sua autoria e data de criação permanecem controversas – assim como a dúvida de onde estariam os braços da Vênus. A única certeza é que trata-se de uma obra helenística com elementos clássicos. Alguns estudos a reconhecem como a segunda obra mais famosa do mundo, atrás da Mona Lisa.

– Vitória de Samotrácia – Local: Ala Denon, 1 andar

Vitória da Samotrácia Paris Louvre

A Vitória da Samotrácia

Vitória da Samotrácia Louvre Paris

Vitória da Samotrácia

Uma das minhas esculturas preferidas, esta escultura de uma mulher alada representa uma deusa grega alada Nice (em grego,Νίκη, Níkē ou Niké – “Vitória”),  assim como a Vênus de Milo, é do período helenístico  final do século III e século II a.C.). A escultura foi colocada na proa de um navio, comemorava uma vitória naval. Ela foi encontrada em 1863, nas ruínas do Santuário dos grandes deuses de Samotrácia. Sob o sopro do vento, algumas partes da sua roupa se levantam e as partes molhadas colam-se ao corpo revelando as formas do corpo. A força, o ímpeto e o folego de vida que animam esta vitória fazem com que ela seja uma obra prima da escultura. A Nike, possui esse nome por causa desta deusa! Inclusive, a logo da marca, é um desenho que representaria a asa de Nice.

– Psique Reanimada pelo Beijo do Amor – Local: Ala Denon, sala C

Psique Reanimada pelo Beijo do Amor

A Psique Reanimada pelo Beijo do Amor

Escultura de Antônio Canova, que mostra Psiquê ressuscitada pelo beijo de Eros, de 1787. Canova foi a Roma, junto com outros artistas amadores, para conhecer não somente a Roma antiga, mas também a dos grandes mestres do Renascimento. É aí que Canova aprende a representar a beleza ideal de acordo com a  nova defiinição neo-clássica. Escultura muito romântica e linda! De acordo com a mitologia: Eros é o Deus romano do Amor e do Desejo. Psyche, era uma mulher mortal, extremamente bonita. Esta bela escultura retrata o momento em que Eros, ainda com as asas entreabertas, desce à terra para ressuscitar, com um abraço, a sua amante Psique.

– Os Escravos de Michelangelo também conhecidos como o Escravo Morrendo e Escravo Rebelde. Ala Denon, sala 4 (escultura italiana).

Escravo Michelangelo Louvre Paris

O Escravo Morrendo – um dos escravos de Michelangelo

Escravo Rebelde Michelangelo Louvre Paris

O Escravo Rebelde

De acordo com o Louvre, Michelangelo deu os mármores a Roberto Strozzi, que os apresentou ao rei da França. Dois belos jovens escravos, um parece se render ao sono eterno, foi apelidado de Escravo Morrendo. O outro, mais brutal, luta arduamente contra o que lhe acorrenta. Diz-se que é o escravo rebelde. Ambos foram desenhados por Michelangelo para o magnífico monumento que o Papa Júlio II sonhou para erguer  para o seu próprio túmulo. No entanto, por razões de economia, o projeto do mausoléu do papa foi reduzida. Júlio II, que havia sonhado com um mausoléu isolado em São Pedro, em Roma, foi enterrado em Saint-Pierre-aux-Liens em uma tumba, decorada com o famoso Moisés de Michelangelo. Essas esculturas quase foram destruídas por Michelangelo porque um mini defeito nas pedras não possibilitaram que o artista desse o acabamento desejado.

– O apartamento de Napoleão Bonaparte – Local: Ala Richeleu, 1 andar

Apartamento de Napoleão Louvre Paris

Apartamento de Napoleão

Napolão Louvre Paris

Mesinha Básica!

São uma demonstração do luxo e ostentação em que vivia Napoleão. Estes aposentos foram criado em 1850 durante o reinado de Napoleão III. A suíte de oficial de estado e as salas de recepção são os únicos aposentos no Louvre que são totalmente intactos e mobilhados como o Chateau foi quando ainda era um palácio real. Decorado em estilo renascentista de Louis XV que misturou madeira entalhada com mármore falso, ouro, crystal, afrescos e veludo.  A grande sala de jantar impressiona pela sua longa mesa que abriga cerca de 40 pessoas e buffet de madeira decorado. Notem a opulência e ostentação nos detalhes. Lustres magníficos, paredes completamente revestidas, tapetes e teto trabalhado.

– O quadro da coroação de Napoleão – Local: Ala Denon 1 andar

Coroação de Napoleão Louvre Paris

Tela imensa!!! Impressionante!

Essa tela exigiu de Jacques- Louis David (o pintor) mais de dois anos de trabalho e trata-se de uma propaganda política. Diz a lenda que Napoleão amou o quadro e disse à J.L. David: “Não é pintura, pode-se andar dentro do seu quadro”. Ali, naquela cena, 200 pessoas assistem Napoleão se preparar para coroar Josefina, na Catedral de Notre Dame. Duas histórias sobre o quadro: Napoleão não permitiu que o papa o coroasse, como era feito tradicionalmente. Pretendia demonstrar de quem era o real poder na França. Napoleão se coroou  de frente para o público e não para o altar e, após, coroou a imperatriz Josefina. A insatisfação do papa Pio VII teria sido explícita e levemente disfarçada na pintura. A outra história se refere à mãe de Napoleão, que, em desacordo com o casamento de seu filho com Josefina (rolavam vários boatos sobre traições dela), não compareceu à cerimônia de coroação. Napoleão, no entanto, exigiu que o pintor a retratasse nitidamente presente. Afinal, como explicar que o homem que colocou a Europa de joelhos não conseguiu convencer sua mãe a estar presente em sua coroação?

– Código de Hamurabi: Ala Richelieu, térreo, sala 3 (Antiguidades Orientais).

Código de Hamurabi Louvre Paris

Código de Hamurabi

O Rei da Babilônia escreveu o primeiro código legal do mundo numa pedra chamada Estela. Abrigado na área antiguidades do Oriente Médio, este é o documento legal mais antigo do mundo. Na verdade, o código não retrata leis propriamente ditas, mas um catálogo de 282 decisões, sobre 11 temas diferentes, onde a pena varia de acordo com a posição social do condenado. No topo da pedra, há uma representação do rei da Babilônia rezando para o Deus Shamash, Deus da Justiça e do Sol. O código é baseado na antiga Lei de talião, “olho por olho, dente por dente”, alguns exemplos das leis contidas no Código de Hamurabi: 

  • Se uma pessoa roubar a propriedade de um templo ou corte, ele será condenado à morte e também aquele que receber o produto do roubo deverá ser igualmente condenado à morte.
  • Se uma pessoa roubar o filho menor de outra, o ladrão deverá ser condenado à morte.
  • Se uma pessoa arrombar uma casa, deverá ser condenado à morte na parte da frente do local do arrombamento e ser enterrado.
  • Se um homem tomar uma mulher como esposa, mas não tiver relações com ela, esta mulher não será considerada esposa deste homem.

 

– A Grande Esfinge – Local: Ala Sully, Sala 1

A Grande Esfinge Paris Louvre

A Grande Esfinge

Esfinge significa “imagem viva”. Esta antiguidade egípcia representa um animal maravilhoso com o corpo de um leão e cabeça humana, é a imagem do faraó, pois tem o nemes (touca de faraó) e barba postiça. É considerada uma das maiores esfinges expostas fora do Egito. O nome do faraó Sheshonk I (Shishaq) aparece no ombro esquerdo. Este rei do Egito é citado sete vezes na Bíblia.

– Cour Marly – Ala Richelieu, térreo

O pátio é um refúgio lindo em pleno Louvre. Expõem esculturas principalmente de artistas franceses que foram encomendadas por Louis XIV, durante o seu reinado para decorar o palácio (Château de Marly). O Cour Marly do Museu do Louvre foi inaugurado em 1993 e contém essencialmente obras de arte vindas de Marly, expostas em três níveis. Além das lindíssimas esculturas em mármore também possui esculturas em bronze e prata. No mapa do Louvre essa exposição esta marcada como Ala das esculturas.

Cour Marly Louvre Paris

Cour Marly – Cantinho que eu amo!

Cour Marly Louvre Paris

Cour Marly – um canto gostoso para um descanso no meio da visita

Ps.: Poderia ficar dias e dias falando das obras maravilhosas e importantes que estão no Louvre. Com certeza essa breve lista não resume nem de perto o que tem pra ver lá, mas é uma dica de por onde começar, ok!!?

Museu do Louvre

Onde Fica? Musée du Louvre, 75058 Paris – França. Metrô: Louvre/Rivoli ou Palais Royal/Musée du Louvre

Clique aqui para algumas visitas virtuais no Louvre. É possível conhecer algumas das suas obras, sem sair de casa.

Horário:

Aberto diariamente das 9h às 18h, exceto terças – Até 21h45 de quarta-feira e sexta-feira.

Preço: Coleção Permanente: 12€; Coleção Permanente. Exposição do Hall de Napoleão: 13€. Bilhete Combinado (Permanente + Hall de Napoleão: 16€). Entrada gratuita para deficientes, menores de 18 anos.

Dicas Extras:

  • Emprestam cadeira de rodas e carrinho de bebês gratuitamente.
  • Para uma visita guiada, baixe o aplicativo oficial do Louvre: Musèe du Louvre (Apple: aqui; Android: aqui)
  • Se preferir ou se tiver muita fila na entrada principal (Pirâmide), entre pelo Le Carrousel du Louvre, na Rue de Rivoli (veja o aqui) – Metrô Tuileries ou Palais Royal/Musée du Louvre.
  • Cafés e Restaurantes do Louvre aqui. Não se esqueçam do Café Marly, já falamos dele aqui.

*** O que acharam deste passeio pelo Louvre? Algo a sugerir!?