E as ex-interessantes filosofias parecem inúteis e vagas demais. Sim, os raciocínios e as discussões ficaram mais “tranquilas”, com mais humildade e respeito com a opinião alheia, sem tanto combatismo e mais interesse no ponto de vista do outro.

O anseio de discutir a vida continua. Sim, eu continuo querendo curtir as pessoas que eu amo mais do que tudo. Gostaria de ter dinheiro suficiente pra mim e para elas e nada mais do que isso.

Eu amo a passagem que vivo. Amo sentir cada sabor da vida… Seja ele com sabor de jiló ou algodão doce.

Trocaria absolutamente tudo que TENHO por SER sempre feliz do jeito que sou em alguns momentos. Não tem dinheiro que pague ou compre as coisas que vivo. Não, isso não é besteira. E não, eu não sou hippie e tenho sonhos de consumo. Sou consumista. Mas o fato é que sei o que PREFIRO: o que me dá mais prazer.

foto 3

Se a vida é feita de escolhas, a minha está feita… Quero saber das pessoas. Quero saber como se sente quando pensa na pessoa que mais ama no mundo. Quero ver você andando sozinho na rua, num dia de rotina. Quero assistir o mundo e a vida. Isso faz meu coração simplesmente transbordar de felicidade. Quero falar com você… Não importa a sua idade, religião ou time. Quero saber o que tem na sua cabeça… Não pra ter uma ideia nova do que fazer da minha vida ou pra pensar quão miserável é a sua vida quando comparada à minha… Mas pra SABER. Curiosidade, interesse. E me desculpe se eu não entender que você não tem o mesmo interesse na vida alheia e eu falar sem parar.

Não me importa se você é homem ou mulher, um maníaco sexual, um escritor, um velho aposentado, uma viúva. Suas historias me alimentam, formam as minhas paredes.

… E eu gosto de pessoas que não desistem da discussão. Que não desistem de mim. São essas que se mantém na minha vida. Aquelas que sabem negociar com os meus argumentos. Aquelas que se mantém interessante, que me fazem pensar nelas enquanto escolho que roupa vestir ou comprar… Aquelas que eu sei que posso vestir qualquer coisa que ela vai ver a faísca nos meus olhos e vai gostar disso. Eu gosto de pessoas leais a si.

Eu quero sentar numa mesa com pessoas desconhecidas, cada uma de um lugar…

Tristeza tem o seu charme. Felicidade tem sempre a sua melancolia. Um sorriso esconde uma historia linda e uma lagrima também. Pelo menos serve pra me fazer ver quantas vezes fui burra e chata demais. Lamento por isso. Lamento mesmo. Prometo não tentar mudar quem está perto com as minhas convicções. Aceite-as ou afaste-se. As pessoas são mais bonitas quando puras e livres.

Rir. Rir na discussão… É o melhor jeito de fazer ela funcionar.

A silêncio de quem não suporta mais discussão incomoda. Quando você desiste da discussão esse silencio incomodará. Mas esse silencio sabiamente faz parte da discussão e as vezes é o melhor dos argumentos. Calar a boca é uma arte boa que eu não domino.

Tente lembrar de algo muito bom na sua vida…

Quando o sol se põe? É sempre triste? Acho que não.

Não viva a vida em automático, por favor. Não perca o encanto. Não perca o nascer do sol, o pôr do sol e a meia noite. Todas esses momentos tem suas vantagens e desvantagens.

Deve ser dificil ser homem (ter como “metas” marther luther king e etc) é libertador não precisar me comparar à nenhuma mulher e poder ser quem eu gosto.

Obs.: Achei esse texto nas minhas notas do celular e pasmem, não sei se fui eu quem escrevi… Costumo escrever pra mim mesma de vez em quando. Parece que o texto é meu, mas também parece que não. Eu não lembro de já ter colocado algumas palavras tão bem colocadas – se fui eu que escrevi, ponto pra mim. De qualquer maneira, se é que foi escrito por outro alguém tenho certeza que foi adaptado por mim porque encontrei alguns erros de português que eu sempre cometo =P.

Cheguei até a pesquisar trechos do texto no google pra entender de onde veio e não cometer a gafe de publicar um texto indevidamente por aqui. Não encontrei nada. 

Se o autor do texto aparecer por aqui, eu gostaria de me desculpar pela ausência de identificação da autoria – conheço direitos autorais e o identificaria com o maior orgulho e prontamente se ele se apresentasse. Mas acho que, na verdade, no fundo eu preferiria agradecer por ter exposto em palavras aquilo que se passava dentro de mim. Que esse Filosofando de hoje seja um pouco de vocês também, afinal, se fosse só pra mim eu teria deixado guardado nas notas do meu celular, né?