Louvre Paris Pirâmide

O Louvre tinha uma entrada… humm, vamos dizer… mais humilde… e com o passar do tempo e com o tamanho sucesso do museu ela já não dava conta da multidão de visitantes. Então, em  26 de setembro de 1981, o Presidente da República na época, François Mitterrand, anunciou um projeto chamado o “Grande Louvre”, que reorganizaria e, porque não, dizer revolucionaria completamente o museu. Para isso, Paris contratou o arquiteto chinês-americano Ieoh Ming Pei, famoso obras na National Gallery em Washington, para projetar uma nova e moderna área de recepção e diminuir o congestionamento dos visitantes.

Louvre Paris

Em 30 de março de 1989 foi inaugurada a pirâmide de vidro construída no centro da Cour Napoléon (pátio principal do Louvre), esta passou a ser a entrada principal do Louvre e é até hoje. Graças à grande pirâmide foi possível acessar rapidamente o subsolo (hall de entrada) do Louvre. As pirâmides, feitas apenas de vidro e aço, fornecem luz aos espaços subterrâneos e, por serem transparentes, preservaram a visão dos edifícios antigos do Louvre.

Como tudo que é inovador, a construção das pirâmides trouxe muita controvérsia. Uns dizem que elas criam uma sintonia perfeita entre o clássico e o moderno. Outros as consideram uma aberração.

Louvre Museu Paris

Louvre Paris Pirâmide

Lua Cheia no Louvre

Não bastasse a polêmica já existente, Dan Brown fez o favor de deixar o assunto ainda mais quente. Em seu livro, O Código da Vinci trouxe à tona uma antiga lenda urbana que dizia que a  grande pirâmide fora construída exatamente com 666 painéis de vidro, o Número da Besta.  O Museu do Louvre, no entanto, desmentiu o fato dizendo que a Grande Pirâmide possui, na verdade, 673 painéis (603 losangos e 70 triângulos). A pirâmide maior possui uma altura de 20,6 m, com uma base quadrada de 35m de cada lado.

Depois da Vênus de Milo e da Mona Lisa, a Pirâmide do Louvre ocupa o terceiro lugar no ranking das obras mais apreciadas do museu. Confesso que eu ainda não formei uma opinião firme sobre o assunto. Elas me encantam, me impressionam, mas não sei. Sempre gostei  – e muito – da mistura do clássico com o contemporâneo e acho que isso dá um encanto bem humorado à qualquer lugar. Mas o Louvre é o Louvre… não sei… Séculos de história e aí vem um chinês americano e me cria várias pirâmides, uma delas gigante… no meio daquilo tudo! Não tenho opinião formada sobre o assunto. Aguardo a de vocês… #nãotenhoopiniaoprópria

Louvre Pirâmide

Pyramide Inversée du Louvre (Pirâmide Invertida do Louvre), que complementa a obra, fica no Carrousel du Louvre e tem ao todo 84 losangos e 28 triângulos. Quem leu o livro (ou viu o filme) O Código Da Vinci deve se lembrar da cena final em que o personagem Robert Langdon aparece de pé sobre a base da pirâmide invertida. Na verdade, a base dessa pirâmide não é acessível já que ela é completamente cercada por arbustos no centro da Place du Carrousel – uma rotatória inacessível aos pedestres. A Pirâmide Invertida foi uma solução das boas pra levar luz natural ao hall de entrada do Louvre.

Museu Louvre Pirâmide Invertida

Museu do Louvre – Pirâmide Invertida

*** E vocês o que acham das Pirâmides? Ajudem-me a formar uma opinião! Hot or not? :)